jusbrasil.com.br
18 de Agosto de 2019

A sentença de Salomão e as duas mães

Sara Próton, Advogado
Publicado por Sara Próton
há 3 meses


Hoje, dia das mães, embora seja uma data comercial, para algumas mulheres essa data realmente carrega significados e simbologias, assim como alguns filhos – para alguns uma data alegre, para outras pessoas nem tanto, pela ausência materna ou pelo desejo em ser mãe ainda não realizado. Uma data que tem significâncias diversas para cada um, e para a Sara não seria diferente.

Aos meus olhos, uma data importante para relembrar o que é amor, em especial o que é o amor de uma mãe. A tradução desse conceito, nós encontramos no livro 1 Reis 3:16-28, na história que Salomão julga a casa de duas mulheres, que se diziam mães.

“Então, vieram duas mulheres prostitutas ao rei e se puseram perante ele. E disse-lhe uma das mulheres: Ah! Senhor meu, eu e esta mulher moramos numa casa; e tive um filho, morando com ela naquela casa. E sucedeu que, ao terceiro dia depois do meu parto, também esta mulher teve um filho; estávamos juntas, estranho nenhum estava conosco na casa, senão nós ambas naquela casa. E de noite morreu o filho desta mulher, porquanto se deitara sobre ele. E levantou-se à meia-noite, e me tirou a meu filho do meu lado, dormindo a tua serva, e o deitou no seu seio, e a seu filho morto deitou no meu seio. E, levantando-me eu pela manhã, para dar de mamar a meu filho, eis que estava morto; mas, atentando pela manhã para ele, eis que não era o filho que eu havia tido. Então, disse a outra mulher: Não, mas o vivo é meu filho, e teu filho, o morto. Porém esta disse: Não, por certo, o morto é teu filho, e meu filho, o vivo. Assim falaram perante o rei.
Então, disse o rei: Esta diz: Este que vive é meu filho, e teu filho, o morto; e esta outra diz: Não, por certo; o morto é teu filho, e meu filho, o vivo. Disse mais o rei: Trazei-me uma espada. E trouxeram uma espada diante do rei. E disse o rei: Dividi em duas partes o menino vivo: e dai metade a uma e metade a outra. Mas a mulher cujo filho era o vivo falou ao rei (porque o seu coração se lhe enterneceu por seu filho) e disse: Ah! Senhor meu, dai-lhe o menino vivo e por modo nenhum o mateis. Porém a outra dizia: Nem teu nem meu seja; dividi-o antes. Então, respondeu o rei e disse: Dai a esta o menino vivo e de maneira nenhuma o mateis, porque esta é sua mãe. E todo o Israel ouviu a sentença que dera o rei e temeu ao rei, porque viram que havia nele a sabedoria de Deus, para fazer justiça.”


O que isso significa? Falar que é mãe todas nós podemos nos denominar, falar até papagaio fala, mas são as nossas atitudes e o nosso amor que demonstra isso. Amor não é egoísmo, mas prezar pelo bem-estar dos filhos em primeiro lugar. Um divórcio é ruim? Sim, ruim, triste, duro, as vezes o motivo é ainda pior, uma traição, mas seu filho não merece sentir a dor que você sente. Seu filho não merece e não deve ser afastado do afeto do pai, pelo desentendimento e pesar como ex companheiro. Pai é pai, filho é filho; pai é pai, ex marido é ex marido. E o principal, mãe é aquela que ama a ponto de passar por cima de suas dores e traumas por zelar pelo filho, é aquela que engole o choro porque se alegra com o sorriso do filho; é aquela que queria colocar o filho debaixo de suas asas para ninguém encostar, mas sabe que o filho precisa das referências do pai e do amo que ele oferece; é aquela que pode ter tido um péssimo casamento e um péssimo marido, mas sabe diferenciar o papel de marido e pai; é aquela dócil, forte, que se for preciso luta até o último suspiro pelo filho, mas também sabe ser humilde e mansa e recolher o orgulho para uma boa convivência com ex marido e pai dos seus filhos; é aquela que sabe da sua capacidade e do seu amor, e por isso não teme que o pai seja mais amado que ela – ela sabe que o amor é liberdade, confiança e respeito a si e ao mundo do outro.

Mãe é aquela que quer ser o melhor exemplo para o filho, não apenas em palavras, mas em gestos, em atitudes em comportamentos quando ninguém vê.

Meus parabéns a você, mãe, que engoliu muitos sapos e engole diariamente para ser o melhor para o seu filho, e que compreendeu que ser mãe é saber dividir, é diferenciar o papel de ex marido – que pode não ter sido bom, do papel fantástico de pai. Meus parabéns a você, mãe, que sofreu ou sofre um o término do relacionamento e possivelmente com uma infidelidade, mas sabe o que é amor, e por isso não priva o seu filho do amor do pai. Meus parabéns a você mãe, que ao invés de querer a morte do filho, quer a vida, uma vida com afeto, saúde, bem-estar e que possibilite crescimento e paz. Você merece abraços, sorrisos e flores, não só hoje, mas todos os dias, porque você compreendeu a boniteza que é ser mãe, mesmo que isso as vezes te cause incômodos e lembranças que você não queria ter.

Oportuno lembrar que a guarda compartilhada não é uma violência contra a mulher, como grupos e movimentos sócio-políticos modernos têm pregado, mas um direito da criança a convivência familiar. O objetivo sempre deve ser priorizar a manutenção do vínculo da criança com os genitores, e aqueles que impedem o contato, vínculos e criam artimanhas para afastar ou gerar repulsa e ódio por parte da criança, pratica alienação parental – uma violência psicológica cruel às nossas crianças, e que urge ser criminalizada!

No mais, seja feliz e continue essa mãezona que você é. Um dia seu filho será grato por cada sapo que você engoliu e cada problema que você superou, por ele!

Um beijo

Leia mais em: Criminalização da alienação parental https://canalcienciascriminais.com.br/criminalizacao-alienação-parental/

Contato: https://www.instagram.com/saraproton/

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Parabéns pela reflexão!

Sucesso! continuar lendo

Parabéns Doutora pela texto. Gostei da parte que você usou a história do Rei Salomão. Sucesso! continuar lendo

Me fez lembrar de um costume paulista: a divisão salomônica.
Duas pessoas juntas compram uma peça de queijo, por exemplo, uma das pessoas vai cortar o queijo ao meio e a outra irá escolher a melhor parte para si.
Obviamente o partidor terá que cortar da maneira mais justa possível, se não fizer terá o prejuízo para si. continuar lendo