Comentários

(253)
Sara Próton, Advogado
Sara Próton
Comentário · há 21 dias
Obrigada 😊
No ponto 5 escrevi que não sou a favor da impunidade. Ele teve a pena dele é deve ser responsabilizado pelo que fez, todavia a ameaça dela serve de atenuante.
E principalmente, atitudes como a dela devem ser combatidas. É verdade que não chegou a recorrer as autoridades e consumar o crime de Denunciação caluniosa, mas foi suficiente para o rapaz se sentir ameaçado e praticar o crime - principalmente por ser em cidade do interior.
A ação dele não tem justificativa, e é crime - mas o fato principal é o que levou a prática do crime, e saber que vários homens estão na mesma situação e até pior (com a efetiva falsa acusação).
Sobre feminicidio, não acredito que exista crime contra alguém apenas por ser mulher, eles ocorrem por problemas de saúde mental, desequilíbrio (posse, ciúmes...nesse caso por medo de ser visto como estuprador). Raros casos as mulheres realmente morrem por serem Mulheres, e verificamos isso pelo tipo de morte, o ódio a mulher se vê ao arrancar genitais, queimar, costurar. E inúmeros homens são vítimas de suas parceiras que também não aceitam o término, e por isso merecem um tipo penal qdo tudo se resolveria por homicídio qualificado pela confiança/relacionamento? Violência doméstica não tem gênero, homens e mulheres, héteros e homos sofrem, praticam, trocam...mas apenas a mulher recebe a devida proteção (e tbm usa de má fé).

Mas sobre o final, não tem como negar, são pessoas em crise de saúde mental, e isso não se resolverá com leis, mas com terapeutas, psicólogos... Inclusive em MT um juiz recebeu prêmio por reduzir a reincidência em 80% por oferecer auxílio psicológico efetivo aos agressores. Abs
Sara Próton, Advogado
Sara Próton
Comentário · há 21 dias
As mulheres de bem precisam lutar para a devida punição de mulheres que desvirtuam as leis. Pequenas alterações na Lei Maria da Penha e procedimentos relativos aos crimes contra a dignidade sexual já seriam suficientes para identificar vítimas reais de farsantes, perícias, escutas qualificadas nas delegacias, inclusão de homens heteros e homos na lei de violência doméstica...

Não basta alegar ciúmes e vingança, é preciso provar e atuo há 3 anos exclusivamente nessa área e todos, sem exceção que atendi até o momento eram inocentes, porém reconheço a existência de homens violentos e criminosos, pois violência não e´questão de gênero (na minha atuação as mulheres fizeram o que fizeram por questões financeiras, dado o patrimônio dos ex maridos, mas há inúmeras motivações).

Quem foi vítima de estupro|violência doméstica e´capaz de identificar as mentiras que uma falsa vítima conta - elas são contraditórias, superficiais e sempre excessivas, não sabem de pequenos detalhes que só as vítimas de verdade passam - e que a mídia não divulga por julgar desnecessário|fraco.

Compreendo sua dor e saiba que ela é importante para juntas combatermos as falsas acusações! Vítimas merecem respeito e proteção do estado, independente de como e quem seja, assim como o tipo de relacionamento que ela tenha escolhido.

Obrigada pelo comentário Eliana!
Sara Próton, Advogado
Sara Próton
Comentário · há 21 dias
Na verdade é uma crença equivocada e inclusive reflexos do código civil anterior em que a cultura do litigio prevalecia, por exemplo em que para divorciar uma das partes deveria ter culpa - e daí vem boa parte das falsas acusações de violência doméstica, estupro de vulnerável...
Advogado não precisa incentivar os conflitos e crimes para ter dinheiro, pelo contrário a nossa função é harmonizar as relações humanas.
Sou advogada criminalista e de família, o que parece estranho, mas "o primeiro crime" ocorreu na família, com Caim matando Abel, a primeira denunciação caluniosa, foi de Eva contra uma cobra...

Advogado nenhum tem que incentivar a criminalidade, independente de como ela seja, mas apenas defender o devido processo legal, buscar provas e zelar pelas garantias do seu cliente. Se os crimes acabarem (utopia) se adapte a nova realidade, inclusive é o que faço, mesmo sendo advogada criminalista é tentar utilizar do direito quântico (direito penal quântico) - cometendo crime ou não, acusado injustamente ou não, ainda é um ser humano e deve ser tratado como tal.

E sobre o comentário dos advogados que incentivam a denunciação caluniosa, ainda pequena tive o primeiro contato com isso, um escritório famoso daqui de MG em direito de família, o advogado fundador ofereceu para a mulher cocaína para colocar nas coisas do marido e ligar para a polícia. O marido e´claro foi preso, empresário bem sucedido e eu achei aquilo tudo muito estranho, e olha que era uma criança. Coincidentemente 5 anos atrás, dentro do avião conheci um rapaz que era exatamente o filho desse homem, estava carregando processo e começamos a conversar e ele disse o que ocorreu: "meu pai passou por isso, o advogado da minha mãe comprou cocaína e mandou colocar no escritório dele. Ficou preso e depois que saiu teve câncer. Prestes a morrer minha mãe foi visitá-lo, pediu desculpas e contou tudo o que aconteceu"
Ele e os outros filhos preferiram não fazer nada, uma família foi destruída por causa de um advogado ganancioso,e não precisa disso! É lamentável esse tipo de coisa, degradante para a profissão que pode ser e é tão nobre e bela...e o pior é saber que isso acontece constantemente
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Belo Horizonte (MG)

Carregando

Sara Próton

Entrar em contato