jusbrasil.com.br
18 de Agosto de 2019

Mãe mata filho por ser menino, um ano após cortar o pênis da criança

Sara Próton, Advogado
Publicado por Sara Próton
há 2 meses

O título da notícia não foi exatamente esse, mas "Mãe e companheira matam, degolam e esquartejam filho de 9 anos no DF". Entretanto, o que está por trás disso é o ódio aos meninos e homens, incentivado diariamente pela mídia com aplausos de juristas, legisladores e todo o aparato social que demoniza os homens.

Uma mãe sequestrou o filho há 5 anos atrás, quando o pai tinha a guarda. Deixou a família em desespero e de tempos em tempos mudava de cidade. Nesse tempo deixou o cabelo do menino crescer, e um ano atrás cortou-lhe o pênis. Tentou a todo custo transformá-lo em menina, pois nas palavras dela, em entrevista:

-"O menino atrapalhava o relacionamento homoafetivo"

Uma criança não atrapalha relacionamento de ninguém, mas ela desejava uma família apenas com mulheres, pois o casal também estava com uma menina, deixando claro que jamais pensaram em fazer nada contra a pequena.

"Duas mulheres são acusadas de matar esfaqueada uma criança de 9 anos, na noite dessa sexta-feira (31/05/2019), em Samambaia Norte. O corpo do menino foi decapitado e apresentava sinais de queimadura. Uma das suspeitas, era MÃE da vítima, e a outra seria companheira dela. O assassinato teria acontecido enquanto o garoto dormia. Depois de matá-lo com golpes de faca, as mulheres o teriam esquartejado e tentado queimar partes do corpo na churrasqueira da residência." ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Mãe mata filho de 9 anos apenas por ser menino, isso mesmo que você leu! A triste notícia diz que ela sequestrou o filho há 5 anos, em que o pai tinha a GUARDA e fugiu com a criança e a companheira. Praticou diversos roubos, privou o filho da escola por 2 anos e diz ter praticado o crime, enquanto a criança dormia. Não é um crime contra menino, só por ser homem?!

Assim como essa mãe, dias atrás outra jogou a filha da janela em SP, e o pai estava longe, em Gales estudando e com medida restritiva, segundo a mãe sofria violência doméstica. A pergunta que fica é: será que essa mulher realmente sofria violência doméstica, ou o pai queria a guarda da filha e ela fez isso para praticar alienação parental, e também tentar matar a própria filha?

"Na sexta-feira, 24, uma mulher foi acusada de ter atirado sua filha de 5 anos e, em seguida se atirar, do 5º andar de um prédio na região do Jaguaré, em São Paulo. Fernanda era casada com músico e professor Evandro Barbosa, que, atualmente, segundo o seu perfil no Facebook, faz mestrado no País de Gales. Ela pediu medida restritiva contra ele por não ter aceitado o pedido de divórcio feito por ela. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, Fernanda registrou um boletim de ocorrência de violência doméstica contra Evandro no dia 12 de fevereiro deste ano."

MÃES SÃO AS MAIORES VIOLENTADORAS:

"Dados de estudo da UnB deixam claro que o castigo físico ainda é considerado uma prática legítima de educação. Um estudo da Universidade de Brasília (UnB) mostra que 52,45% dos casos de maus-tratos contra crianças são praticados pelas mães das vítimas. Os pais são os responsáveis pela violência em 42% das vezes. Os número têm como base o Serviço de Assessoramento a Juízos Criminais (Serav) de 2010."

AUMENTO DE PRISÃO DE MULHERES

"A população carcerária feminina subiu de 5.601 para 37.380 detentas entre 2000 e 2014, um crescimento de 567% em 15 anos. A maioria dos casos é por tráfico de drogas, motivo de 68% das prisões. Os dados integram o Infopen Mulheres, levantamento nacional de informações penitenciárias do Ministério da Justiça, que, pela primeira vez, aprofunda a análise com o recorte de gênero. A taxa de mulheres presas no país é superior ao crescimento geral da população carcerária, que teve aumento de 119% no mesmo período. Na comparação com outros países, o Brasil apresenta a quinta maior população carcerária feminina do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos (205.400 detentas), China (103.766) Rússia (53.304) e Tailândia (44.751)."

Essas mesmas mulheres, segundo o CNJ precisam de prisão domiciliar:

"CNJ pressiona justiças locais a liberar mães que têm direito à prisão domiciliar." Para matar o filho e o homem, não pode ter o mesmo direito. O homem preso perde o convívio com os filhos, os vínculos, mas á mulher é ofertada a todo custo a manutenção do convívio.

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA também é contra os filhos! ⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀

⭕ A Sociedade que FECHA OS OLHOS PARA A CRIMINALIDADE FEMININA também fecha os olhos para as nossas CRIANÇAS!

⭕ Importante falar, que mulheres não apenas matam os filhos como também estupram! Sim 2,3% dos estupros de crianças até 13 anos SÃO PRATICADOS PELA MÃE e 3,2% dos 14 aos 17 anos (outra informação relevante é que mulheres em geral praticam outros atos libidinosos diversos da conjunção carnal/penetração – então esses números simbólicos representam apenas os casos notificados em hospitais, decorrentes de lesões, então meu amigo, pode multiplicar incontáveis vezes esse nº), porque infelizmente a realidade é bem maior! Ensinar uma criança a fazer sexo oral, por exemplo não deixa vestígios físicos, já os psicológicos... ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

⚠️ Agora pense nas madrastas, professoras, babás... E você aí, achando que homem é estuprador só por ser homem... está na hora de acordar, porque seu filho pode estar correndo risco ou sofrendo abusos sexuais e você nem se deu conta porque veste as mulheres com o manto da santidade.

Essa é a nossa sociedade, em que o ódio aos homens é naturalizada, pregada com veemência. Provavelmente o menino não se adequava as exigências da mãe, em transformá-lo em menina, e a solução foi a morte. Quantos mais precisarão morrer?

A caça às bruxas contemporânea começou, dessa vez aos homens. Resultado dos movimentos de ódio aos meninos e homens, a demonização masculina.

O direito deve ser para todos, A PUNIÇÃO TAMBÉM! Crime não tem gênero, embora a sociedade insista nessa falácia!

"O machismo mata todos os dias"...o FEMINISMO também!

Poderia ser "Mãe arranca pênis do filho, porque não queria um potencial estuprador"; como se apenas homem estuprasse, ou estupro dependesse de genital masculino...

A diferença é que homem ser morto, violentado, abusado, esquartejado, esfaqueado, estuprado, assediado, torturado, humilhado, agredido, cuspido, socado, chutado, ter seus bens destruídos, sofrer violência psicológica, moral, sexual, patrimonial é normal - coisa de mulher.

Machismo mata, mas o feminismo apenas retribuí, "dívida histórica", "empoderamento", "hormônios", "cotas"... a mulher pode fazer tudo e o que quiser, principalmente violentar os meninos e homens e não ser punida por isso. A CRIMINALIDADE FEMININA precisa ser revista, URGENTEMENTE!

13 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Parabéns pela sua luta! Esse movimento feminista só aumenta a violência contra homens e crianças, além de aumentar o feminicídio. TMJ. Compartilhando tudo. Aqui em MS começou a campanha contra o feminicídio onde o índice cresceu e os demais crimes diminuíram. continuar lendo

Privilégios legais para mulheres, misandria e ideologia de gênero se misturam neste crime pavoroso. Tudo que uma boa agenda progressista defende. Não veremos este horrendo homicídio reverberando nas grandes mídias. O menino tinha os cabelos compridos e vestia roupas femininas quando morto. Morreu de modo indigno, assim como viveu. A menina sobrevivente terá que passar por tratamento psicológico, pois está com medo de homens. É uma tragédia completa, fruto do plantio sistêmico das agendas feministas misândricas. continuar lendo

Concordo muito! Sou mãe de 4 rapazes e amo o universo masculino, nem por isso deixo de me amar como mulher feminina que sou! Detesto o feminismo. Amo estar na sub missão, muito mais fácil e prazeroso! A humanidade anda perturbada e sem limites, precisando se aproximar de DEUS!!!! continuar lendo

Parabéns pelo artigo, fundado em dados, o torna uma realidade tristíssima. Infelizmente o Brasil sofre há mais de 30 anos com tais ideias. continuar lendo